No dia 8 de junho a ASTHEMG, SINDPROS e uma comissão de funcionários do Hospital Júlia Kubitschek se reuniram o diretor do hospital Samar Musse Dib para discutir sobre a abertura da UE e a transferência dos funcionários do CTI para a UE.

Samar explicou que será aberto o setor da UE a partir de julho, mas não há previsão de ampliação do CTI. Com isso será necessário transferir alguns funcionários lotados no CTI para a abertura UE.

O sindicato sugeriu para o diretor que esse processo de transferência fosse feito em cima de critérios impessoais e não escolha individuais. Garantindo assim uma imparcialidade e não privilégios pessoais na escolha. Também sugerimos que os critérios fossem pré-definidos e transparentes.

Propusemos que fosse usado o sistema de contratação como forma de suprir a necessidade de técnicos de enfermagem para trabalhar na UE e só após esgotado essa possibilidade que fosse usado trabalhadores efetivos.

Além dessas propostas também foi sugerido que fosse considerado como primeira opção o desejo do funcionário de ir trabalhar na UE.

Por fim Samar ficou de conversar com a coordenação de enfermagem sobre as propostas e dar um retorno ao sindicato. De qualquer forma ele afirmou que não estava nada definido sobre as transferências na unidade, até aquela data.

Na oportunidade as funcionário do CTI, que estavam presente, entregaram ao diretor um documento. Segundo elas, esse documento foi elaborado por alguns funcionários do CTI e também assinado pelos médicos, cujo objetivo era explicar a importância do serviço que os funcionário vêem exercendo no CTI.

By asthemg

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.