Na última terça-feira, 18/10, o SINDPROS e ASTHEMG realizaram uma assembleia com os trabalhadores do Hospital Regional Antônio Dias – HRAD, no auditório do hospital, para discutir a nova tentativa do governo de Minas e da Fhemig de privatizar o hospital implantando as Organizações Sociais – OS.

O plano do Governo de Zema é terceirizar os hospitais da rede Fhemig para empresas privadas. Com a aprovação da Lei de Recuperação Fiscal e a PEC 32, o governo Bolsonaro e Zema pretendem mudar a constituição e permitir a demissão e exoneração de servidores públicos. Ou seja, não irão tirar apenas nossos direitos, irão acabar com os servidores públicos e trocar por terceirizados.

Os servidores relataram que a presidente da Fhemig, Renata Leles, esteve no hospital um dia antes, 17/10, e em reunião com os trabalhadores tentou desmobilizar os servidores a participar da assembleia do sindicato. A presidente da Fhemig confirmou que o hospital irá ser passado para OS, mas não explicou as perdas para os trabalhadores ou como seria a gestão.

Na assembleia com as diretoras da ASTHEMG e SINDPROS foram respondidas as dúvidas e esclarecido que os servidores terão várias perdas caso as OSs sejam aprovadas.

Além de representar perdas salariais com o fim de gratificações, a maioria das OSs, que são empresas privadas, estão envolvidas em esquemas de corrupção, atrasos nos pagamentos dos funcionários, atraso no pagamento de fornecedores, falta de medicamentos, falta de insumos entre outras denúncias.

Inclusive o edital para buscar empresas privadas para entrar no HARD foi suspenso pelo Ministério Público, por não conter clareza sobre as consequências para os trabalhadores e população. O próprio Conselho Estadual de Saúde também se declarou contra as OSs.

Outro apoio recebido pelos trabalhadores do HRAD foi do ex-vereador Izaias Martins de Patos de Minas, o parlamentar participou da assembleia e irá interceder junto com a secretaria de saúde do município e convocar uma Audiência Pública para que o tema seja discutido na Câmara de Vereadores.

Foram deliberadas as seguintes ações:

Foram deliberadas as seguintes ações:

  • Realização de uma Audiência Pública na Câmara de Vereadores.
  • Programar uma paralisação dos trabalhadores junto com entidades e população.
  • Divulgação sobre o risco das OSs para trabalhadores e população.
  • Divulgação em rádio e TV sobre os riscos da OSs.
  • Trazer a população para luta em defesa do HRAD contra as Oss.
  • Usar as redes sociais para informar a população.

By asthemg

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *